caesamigoes.

Go to home caesamigoes.

Cães

Go to Cães.

dicas

Go to dicas.

Saúde...

Go to Saúde...

vídeos

Go to vídeos.

.

Pesquisar

Mostrando postagens com marcador vida. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador vida. Mostrar todas as postagens

19/03/2016

Repelente caseiro ajuda a afastar pulgas e carrapatos de animais



Repelente caseiro ajuda a afastar pulgas e carrapatos de animais

 

Produto leva 

capim de erva cidreira,  

álcool 70, 

vinagre, 

água 

cravo.


Repelente ainda ajuda a cicatrizar feridas causadas por esses parasitas.

A associação de altas temperaturas e umidade pode ser prejudicial para cães e gatos. 

Além do mal estar, o tempo quente também pode trazer outro tipo de incômodo: os parasitas. Essa época do ano é ideal para a proliferação de pulgas e carrapatos.

E quem tem bicho em casa, sabe o quanto as pulgas atrapalham a vida dos animais. Para prevenir o problema, a estudante de farmácia Alessandra Diamante, de Paranavaí, no noroeste do Paraná, ensina a fazer um repelente caseiro.
O produto é barato e os produtos utilizados são naturais, o que não agride os animais. A receita caseira também tem alguns ingredientes que ajudam na cicatrização das feridas.
Repelente deve ser passado a cada uma hora (Foto: Reprodução RPC  Noroeste) 
Repelente deve ser passado uma vez por dia em
cães e gatos (Foto: Reprodução RPC Noroeste)
Repelente caseiro


Ingredientes

1)  Capim de erva cidreira ou citronela
2)  200 ml de álcool 70
3)  200 ml de vinagre branco
4)  600 ml de água
5)  Cravo

Modo de fazer:


Bata todos os ingredientes no liquidificador

Os itens precisam ficar bem triturados.

Logo depois, insira o produto em um borrifador. 

Não é necessário coar.


Recomendação

O veterinário João Elias Cabianca explica que a mistura não é tóxica ou prejudicial aos animais. "O repelente ajuda por pouco tempo, tudo depende da infestação do local. 

Não adianta passar se o ambiente onde o animal vive está cheio de pulgas e carrapatos", diz.

O repelente também não vai matar esses parasitas. 

"O ideal é passar um produto que extermine definitivamente esses parasitas. 

O repelente só vai afastar o problema, não vai acabar com eles", recomenda o veterinário.

O repelente pode ser aplicado uma vez por dia no cão ou gato. Mas, tome cuidado ao aplicar próximo aos olhos e focinho. Também é importante aplicar o produto nos tapetes
móveis, 

nos espaços onde os  
animais dormem.

fonte:  g1

 

02/03/2016

Cachorro x Condomínio / Conforme o dito popular, "desconfie de quem não gosta de cachorro, pois coisa boa não é"





▼Sobre esta , matéria, foi encontrado material em: uj.novaprolink.com.br/forum/3/discussao/19802/cachorro_x_condominio




Forum > Direito Civil (Geral) > 
Cachorro x Condomínio

kênnia 
Postado emsegunda-feira, 22 de junho, 2009
"Tenho um poode há 4 anos e depois que mudei para um condomínio, há duas semanas, já recebi uma carta da Adm. do condomínio relatando as reclamações de vários vizinhos: "... latidos constantes e inssuportáveis e mal cheiro inssuportável no corredor..." e se no prazo de 5 dias nao houvesse adaptações eu seria multada. Fui à administradora para esclarecer o ocorrido.
1: duas semanas não é tempo suficiente para adaptação de um animal. Sem considerar que a primeira reclamação foi no segundo dia apos a mudança.
2: os latidos são altos, não queremos causar danos, mas nehuma lei impede o direito irrevogável do animal latir 
3: os latidos sempre acontecem quando o animal fica sozinho e nunca ocorreu entre as 22:00 as 08:00 nao contrariando a Lei do silêncio
4: Para ser prejudicial teria que atindir 85 decibéis, nesse caso, solicitaria a vinda de um perito para mensurar quantos decibeis meu cachorro atinge ao latir e se a frquência juntamente com o volume seria danoso ao aparelho auditivo do meu vizinho
5: O cheiro insuportável no corredor é até hilário se levar em consideração que meu cachorro nao faz as necessidades no apartamento, visto que saimos com o animal pelo menos 3 vezes ao dia, além de tomar banho de 15 em 15 dias. Mas para que eu fosse punida por isso solicitaria a vinda de um representante da administradora, neutro, que não resida no condominio, para que verificasse a existência de um suposto mal cheiro.
6: Não foi feita nehuma infração das leis que constam no regime interno do condominio, que se referem aos ambientes comuns do condominio, lei do silêncio e porte do animal.
7. animal faz parte do tratamento contra depressão profunda da minha mãe, logo não ha a possibilidade de desfazer do mesmo.
8: Lei Federal 4.591/64 art. 19
9: Lei Federal art 5 "

"Depois de todos esses pontos, teria como impedirem a permanência do meu cachorro no meu apartamento???
Relatar Conteúdo Impróprio"

...


Rinaldo postado emquinta-feira, 03 de fevereiro, 2011 Em São Paulo, a Lei 10.309 (art.17) de 22/04/87 determina: "A manutenção de animais em edifícios condominiais será regulamentada pelas respectivas convenções". Porém, a Lei Federal 4.591/64, em seu artigo 19, diz: "cada condômino tem o direito de usar e fruir com exclusividade de sua unidade autônoma, segundo suas conveniências e interesses, condicionadas umas às outras às normas de boa vizinhança". 
Traduzindo em miúdos, todo dono de animal tem o direito de ficar com ele em seu apartamento, desde que isso não ultrapasse os limites da boa convivência. "Se o animal está com o dono há mais de um ano, é direito adquirido. Tanto a Constituição quanto o Código Civil garantem o direito de propriedade. O que não se pode discutir é a autoridade dos condomínios em legislar sobre as áreas coletivas. O condomínio pode proibir um cãozinho de passear nos jardins do prédio, ou de andar no elevador (com certos limites), mas não de morar com seus donos.


Conforme o dito popular, "desconfie de quem não gosta de cachorro, pois coisa boa não é"


Cachorro é um ótimo remédio para alma, um ótimo antídoto para falta de amor, para falta de carinho e falta de amigos. 
Não quero obrigar ninguém a gostar de cachorros, mesmo pq existem milhões de animais que podem substituí-los, cada um merece o bicho que tem, tenho um amigo/cachorro e sou muito feliz. Para quem não gosta de cachorro sugiro, uma cobra , um porco , um morcego etc... uma tartaruga tb é uma boa sugestão pois não faz barulho, não cheira mal, e não precisa ser cuidada;Kennia, parabéns pelo amor do seu poodle , jamais o abandone e nunca o deixe longe da sua mãe!!!
QUANTO MAIS CONHEÇO AS PESSOAS, MAIS GOSTO DO MEU CACHORRO!!!

Alex Pereira postado em sábado, 12 de fevereiro, 2011
"Prezada Kênia, quero lhe sugerir que faça uso da coleira anti-latido que é inofensível ao animal."
Patricia postado emquarta-feira, 26 de outubro, 2011
Gostaria de informações acerca da seguinte situação pela a qual estou passando. Acabei de comprar uma cocker, que tem 60 dias, a noite ela não chora/late, pois dorme comigo porém sei que late quando fica sozinha, o que é extremamente natural em um filhote. A questão é que ela não passa muito tempo sozinha, pois atualmente não estou trabalhando com isso, ela não fica sozinha por um período superior a 3 horas, isso acontece uma vez por semana, no dia que tenho aula de inglês, saio de casa às 09h e retorno ao meio dia. Geralmente quando retorno, ela não está mais latindo e sim brincando com minha gatinha.No prédio tem mais cachorros e ao lado uma escola, onde, com toda a certeza, as crianças gritam por mais tempo que minha pet.O que acontece é que a vizinha vem reclamando no livro do condomínio constantemente, que minha cachorrinha late por longos períodos sem interrupção, onde parece que querem aplicar multa.Isso pode acontecer? Pois o regimento do condomínio cita a lei do silêncio que é das 22h às 7h e neste período, não há latidos. Que medidas posso tomar para defender minha peluda, afinal, ela late porque é o que sabe fazer. Acredito que está faltando a compreensão de que é um filhote e está em adaptação, logo isso é provisório.desde já agradeço pela atenção.Patricia


Patricia postado emquarta-feira, 26 de outubro, 2011
Gostaria de informações acerca da seguinte situação pela a qual estou passando. Acabei de comprar uma cocker, que tem 60 dias, a noite ela não chora/late, pois dorme comigo porém sei que late quando fica sozinha, o que é extremamente natural em um filhote. A questão é que ela não passa muito tempo sozinha, pois atualmente não estou trabalhando com isso, ela não fica sozinha por um período superior a 3 horas, isso acontece uma vez por semana, no dia que tenho aula de inglês, saio de casa às 09h e retorno ao meio dia. Geralmente quando retorno, ela não está mais latindo e sim brincando com minha gatinha.No prédio tem mais cachorros e ao lado uma escola, onde, com toda a certeza, as crianças gritam por mais tempo que minha pet.O que acontece é que a vizinha vem reclamando no livro do condomínio constantemente, que minha cachorrinha late por longos períodos sem interrupção, onde parece que querem aplicar multa.Isso pode acontecer? Pois o regimento do condomínio cita a lei do silêncio que é das 22h às 7h e neste período, não há latidos. Que medidas posso tomar para defender minha peluda, afinal, ela late porque é o que sabe fazer. Acredito que está faltando a compreensão de que é um filhote e está em adaptação, logo isso é provisório.desde já agradeço pela atenção.Patricia"



20/07/2012

cão vida você...




Nunca deixe passar a oportunidade de sair para um passeio.
Experimente a sensação do ar fresco e do vento na sua face por puro prazer.
Quando alguém que você ama se aproxima, corra para saudá-lo.
Quando houver necessidade, pratique a obediência.
Deixe os outros saberem quando invadirem o seu território.
Sempre que puder, tire uma soneca e se espreguice antes de se levantar.
Corra, pule e brinque diariamente.
Coma com gosto e entusiasmo, pare quando estiver satisfeito.
Seja sempre leal.
Nunca finja ser o que você não é.
Se o que você deseja está enterrado, cave até encontrar.
Quando alguém estiver passando por um mal dia, fique em silêncio, sente-se
próximo e gentilmente tente agradá-lo.
Quando chamar a atenção, deixe alguém tocá-lo.
Evite morder quando apenas um rosnado resolver.
Nos dias mornos, deite-se de costa sobre a grama.
Nos dias quentes, beba muita água e descanse embaixo de uma árvore frondosa.
Quando estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo.
Não importa quantas vezes for censurado, não assuma a culpa que não tiver e não
fique amuado... corra imediatamente para os seus amigos.
Alegre-se com o simples prazer de uma caminhada.


Se o seu problema tem solução, então não há com o que se preocupar. E se o seu problema não tem solução, toda preocupação será em vão. (Provérbio Tibetano)


fonte e créditos:

aondemoraessatalfelicidade

25/01/2011

Cão leva dois tiros ao salvar vida de dono em assalto no RS

Cão leva dois tiros ao salvar vida de dono em assalto no RS

Max atacou ladrões durante tentativa de assalto em Garibaldi.
'Ele salvou minha vida e será especial para sempre', diz dono ao G1.

Nathália Duarte Do G1, em São Paulo
Max salvou vida de dono em assalto em Garibaldi (RS)Max salvou vida de dono em assalto em Garibaldi
(Foto: Porthus Junior/Pioneiro/Agência RBS)
Quando decidiu levar Max para casa, com poucos dias de vida, Seu Osmar nem imaginava que o cão salvaria sua vida, pouco mais de três anos depois. No último domingo (23), o animal chegou a levar dois tiros para defender seu dono de um assalto, no centro da cidade de Garibaldi, no Rio Grande do Sul.
“Eu estava chegando do interior e estacionei minha caminhonete em frente ao comércio que tenho, no centro da cidade. Havia deixado Max no terreno dos fundos do comércio quando fui abordado por dois homens que anunciaram o assalto. Eles queriam levar a caminhonete, mas eu disse que estava sem a chave. Foi quando um deles sacou o revólver. Só tive tempo de desviar e gritar ‘pega Max’”, conta Osmar Persico, 47 anos.
Seu Osmar foi atingido de raspão por um tiro na testa.  Ao ver o sangue, o cachorro obedeceu ao dono e atacou os assaltantes. “Ele viu o sangue e ficou uma fera. Saiu como um foguete para atacar os ladrões. Um deles fugiu a tempo, mas o outro foi dominado pelo Max. Para se defender, o ladrão acabou atirando no cachorro. O Max me livrou do assalto e salvou minha vida”, diz.
Os ladrões fugiram sem levar nada. O boxer, mesmo ferido, passa bem, e se recupera das lesões causadas pelos disparos.
“Ele teve duas perfurações por bala, uma no peito e outra na pata dianteira direita, mas se recupera bem. Já está se movimentando e imobilizamos apenas a pata ferida. Ele é um cão muito forte, corajoso, acredito que não ficará com sequelas”, diz ao G1 o veterinário Ari Glock, que atendeu Max após a emergência e segue acompanhando o tratamento do animal.
Max deve continuar morando no terreno próximo ao comércio de Seu Osmar, já que a família mora em um apartamento. "  Estamos sempre por perto, passeamos todos os dias, e isso vai continuar. Ele já era importante para nós, e agora, para mim, vai ser especial para sempre", afirma Persico.

fonte:
globo.com


http://caesamigoes.blogspot.com

Seguidores

Google+ Followers

Seguir por e-mail

estatísticas